segunda-feira, 10 de agosto de 2009



se eu canto
pouso a língua entre os dentes
rente
onde a saliva espraia
pele espuma arraia
algas de algum mar
distante
ondas de um pulsar
instante
em que 0 sol
nave metal aclara
areia
como se fosse
pele
conchas em tua
boca lua
nua dentro do mar
sereia
o canto
cravado na lua cheia
sangue
pulsante na tua veia
quando
piso na tua praia

arturgomes
http://arturgomesvideopoesia.blogspot.com/

Um comentário:

  1. Fala Rei Arthur da Palavra Redonda...dê uma olhada no trabalho visual que estou desenvolvendo em ninobelliney.blogspot.com...abraços.

    ResponderExcluir