quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Movimentos se organizam para realizar encontro contra projetos de barragens

Notícias Foto: Fórum Carajás
Rio Parnaíba (MA/PI)

MA/PI: Movimentos se organizam para realizar encontro contra projetos de barragensNos próximos dias 19 e 20 de novembro, o Fórum Carajás, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Balsas e outras organizações sociais realizarão um encontro na Câmara Municipal de Loreto, no Maranhão, para discutir sobre os projetos de barramento das águas na bacia do rio Parnaíba, que compreende a região Sul do estado e também municípios do Piauí

Nos próximos dias 19 e 20 de novembro, o Fórum Carajás, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Balsas e outras organizações sociais realizarão um encontro na Câmara Municipal de Loreto, no Maranhão, para discutir sobre os projetos de barramento das águas na bacia do rio Parnaíba, que compreende a região Sul do estado e também municípios do Piauí.

Durante o encontro, os participantes deverão pensar quais medidas tomarão para tentar suspender os projetos das barragens, já que está agendado para o dia 17 de dezembro o leilão das usinas Ribeiro Gonçalves (11MW), Castelhano (64MW) e Estreito de Parnaíba, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Se levados adiante, os projetos irão impactar direta e indiretamente centenas de famílias e comunidades da região, além de trazer problemas para a infraestrutura das cidades, segundo alegam os ativistas.

Edmilson Pinheiro, secretário executivo do Fórum Carajás, disse que o objetivo do encontro é reunir os atores sociais do Sul do Maranhão, representantes quilombolas do Piauí e todos que serão impactados direta ou indiretamente com as barragens do Parnaíba.

Ele informou que na ocasião será apresentada a ideia de uma campanha contra as barragens e que serão pensadas estratégias de mobilização nas localidades atingidas. Outra questão que será discutida é a classificação como Unidade de Conservação da Área de Proteção Ambiental (APA) Nascente do Rio Balsas e medidas para sua preservação e manejo. "Há um descompasso muito grande entre as questões que a gente vai discutir. Existem cinco pontos positivos nestes projetos, enquanto há mais de 80 negativos. A viabilidade da obra pode ser econômica, mas, não ambiental", avaliou.

No dia 20, a pauta do encontro serão os assentamentos rurais que serão inundados se as barragens forem feitas, e o remanejamento dos assentados. Edmilson ressaltou que aproximadamente 20 mil pessoas devem ser atingidas diretamente com os impactos das usinas.
Além disso, há a questão da migração para a região, já que obras como estas atraem pessoas de outros lugares, em busca de novas oportunidades de emprego. "De acordo com uma pesquisa feita, espera-se que migrem 100 mil pessoas para a região", informou e disse que o aumento da população local trará problemas para a área da saúde, por exemplo, que já é precária. Construções que datam do século XVIII e a região do Cerrado do Piauí também devem ser impactadas com os projetos hidrelétricos.

Edmilson criticou ainda que nem as comunidades quilombolas, nem a Fundação Palmares foram comunicadas sobre o processo que impactará também aos quilombolas. Em uma carta denúncia divulgada em setembro deste ano, os quilombolas afirmam que em nenhum momento da elaboração dos projetos, as comunidades remanescentes de quilombo, foram consultadas ou citadas. "Salientamos que a omissão das informações e a negação de manifestações das comunidades remanescentes de quilombos fere gravemente a Constituição Federal de 1988", salientaram.

Por causa destas irregularidades é que os movimentos deverão denunciar o caso ao Ministério Público. De acordo com ele, o Conselho Nacional de Recursos Hídricos e o Conselho do Meio Ambiente do Maranhão também serão acionados. As ações judiciais devem ser encaminhadas logo após a realização do encontro, com a perspectiva de que se consiga pelo menos o adiamento do leilão.

Mais informações no site: http://www.forumcarajas.org.br/
Por: Tatiana Félix- Jornalista da Adital
http://www.adital.com.br/
Edmilson PinheiroSão Luís/MA/Brasil


A lei contra o Candomblé em Piracicaba
http://www.brasilianas.org/blog/luisnassif/a-lei-contra-o-candomble-em-piracicaba

A lei contra o Candomblé em Piracicaba Enviado por luisnassif ,

Por Sergio José Dias

É mais o discurso serrista incentivou ações como esta: Intolerância religiosa: Lei Contra o Candomblé é Aprovada em Piracicaba

A Câmara Municipal de Piraciba/SP, por unanimidade, com o apoio dos vereadores dos seguintes partidos: PT, PDT, PP, PPS, PTB,PR, PMDB, PRB,PSDB, aprovou em 7/10, o PL 202/2010 do vereador Laércio Trevisan (PR).

Comentários em Piracicaba, informam que o referido PL. é parte de um MOVIMENTO chamado “ALIANÇA PARA A SUPREMACIA CRISTÔ, que tem por objetivo levar este projeto a outras cidades do Estado de São Paulo, depois, independente de quem seja eleito, encaminhar para a Câmara dos Deputados, através de deputados federais dos partidos envolvidos. Estes deputados, no momento, são mantidos no anonimato.

O referido pela aguarda sanção ou veto do Sr. Prefeito Municipal Barjas Negri, por favor mandem e-mail, telefonem para o prefeito/secretário de governo e demais autoridades solicitando o veto ao PL. tendo em vista que o referido PL. entre outras coisas, atenta contra a liberdade religiosa e fomenta o racismo.

- PREFEITO BARJAS NEGRI - Fone: (19) 3403-1040 E-mail: bnegri@piracicaba.sp.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

- VICE-PREFEITO SÉRGIO DIAS PACHECO – Fone: (19) 3403-1080
viceprefeito@piracicaba.sp Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . gov.br / spacheco@piracicaba.sp.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
- CHEFE DE GABINETE ISAURA F. B. MAZZUTTI / Fone: (19) 3403-1050/
imazzutti@piracicaba.sp.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

- SECRETÁRIO MUNICIPAL DE GOVERNO JOSÉ ANTONIO DE GODOY / Fone: (19) 3403-1055
jagodoy@piracicaba.sp.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Quero ver quem vai proibir o mesmo nas sinagogas e mesquitas de Piracicaba. http://pelenegra.blogspot.com/2010/11/intolerancia-religiosa-lei-contra-o.html
Por H. C. Paes

Não li o PL, mas acho que esta postagem vai com muita sede ao pote. Por mais que perseguição religiosa seja deplorável, também não dá para pôr tudo nas costas do Serra. Preconceito contra as religiões sincréticas afro-brasileiras é coisa antiga. Em Brasília, vandalizaram, em 2008 se não me engano, uma bela coleção de estátuas de divindades do candomblé numa praça. E em 2009, a Carta Capital publicou uma reportagem sobre uma ofensiva evangélica em Salvador em que até vendedoras do "bolinho de Jesus" estavam tentando tirar clientela das baianas que vendem acarajé.

De quando é o PL? Essas coisas não tramitam instantaneamente. É de antes ou depois da época em que as trevas tomaram conta da campanhado Serra? O PT e o PDT apoiaram. Por quê? Este é o primeiro caso de lei municipal contra o candomblé no Brasil? É preciso contextualizar...

Qual o teor do texto do PL? Se for alguma regulamentação de prática de candomblé em área pública ou terrenos baldios, é diferente de perseguição religiosa. Em qualquer lugar, católicos precisam pedir permissão para obstruir o trânsito com uma procissão. Como qualquer outra religião, o candomblé precisa ter espaço apropriado, terreiros particulares para prática. Isto dito, duvido que seja alguma coisa inocente.

O PR é agremia lideranças religiosas evangélicas há anos. Entre essas, algumas são intolerantes e retrógradas (mas não mais do que os carismáticos ou a Opus Dei, que fique claro; fundamentalismos se parecem, não importa a religião de base). É mais provável mesmo que o vereador esteja tentando subverter o estado laico surrepticiamente. E não esperem coisa alguma de Barjas "Sanguessuga" Negri.

Paracomeçar, o PSDB local apoiou a lei. Por que o prefeito tucano vetaria algo que seu partido apoiou? Se essa lei for derrubada, terá de ser pela justiça

Gustavo Cherubine
São Paulo CorinthiansBrasil América Latina

“Quando reparto meu pão com os pobres me chamam santo, quando pergunto pelas causas da pobreza me chamam de comunista.”
Dom Helder Câmara

"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros." Che Guevara

"Rouba a terra de seus filhos, nada respeita. Esquece os antepassados e os direitos dos filhos. Sua ganância empobrece a terra e deixa atrás de sios desertos." Chefe Si'ahl, líder do Povo Dkhw’Duw’Absh, em 1855.

Nenhum comentário:

Postar um comentário