quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

alcinéia marccuci: arte da fêmea

grafismo: césar castro

Artur! Li teu poema dedicado a Sampa no teu blog, bem legal! E, realmente Sampa interfere na retina como tu escreveste! Acho que é uma salada de grandes contrastes que somente por aquelas ruas eles ficariam lado a lado. "O lixo e o ouro" se cruzam como se fizessem amor sem querer dentro do umbigo do centro de São Paulo abortando sonhos para vingar a realidade.

Então já ouviste falar em Bezerra de Menezes! Pois o sanatório que têm aqui com o seu nome dizem que mais enlouquece do que cura! Não sei! Pois há muita coisa que acho natural e que as pessoas julgam loucura! O muro é altíssimo mas também dizem que quando alguém surta de acordo lá dentro o muro vira café pequeno, nada segura o êxtase. E sei que parece ironia mas costumam fazer o Bloco do Bezerra de Menezes de Carnaval que sempre nesta época sai um dia nas ruas de Rio Claro com música e tudo, tiveram um enredo uma vez “ louco é quem diz, eu sou feliz...”

De Jardinópolis ao canal Campos Macaé chego a conclusão que este seu federico anda viajando demais nas idéias rsrsssr, adorei o fechamento do texto em que finalizou com o que rola no bolso sem fundo dos comandantes! Não deveria mas te vou comentar que ás vezes fico na dúvida enquanto leio estas viagens e fico me perguntando:

Será que os textos são diretos e retos, sem ponto nem nada para mostrar a correria dos dias e esta salada de ações que se associam a mistura de povos e sabores que somos todos nós?

Ou será que é para exaltar o pensamento ilimitado e sem fronteiras,a favor do progresso de idéias novas que não podem ser matadas no ninho com um ponto final? Ou ainda será para demonstrar que federico não precisa beber nem se drogar para viajar na maionese, nas idéias e até nos temas que abrangem a sociedade?

Ou é para mostrar que federico têm pressa ou fome de viver e nada mais? Desculpe se perguntei demais é que penso em outras coisas quando leio e sempre leio seus textos rapidamente e me pergunto se isto é intencional, entende?Afinal, sou curiosa!!! Ou federico cria propositalmente estas questões para cada um achar a sua resposta? Bom, de qualquer forma, acho original e adoro visualizar enquanto leio as metamorfoses originadas por estas viagens!!!!

Poxa! Legal Artur que seus poemas estão viajando cada vez mais longe! Você merece que eles se propaguem! Valeu por divulgar Mama Mia no seu blog! Posso postar também alguma das suas tantas crias poéticas no meu?

Estou postando mais uma foto que caçei na Net daquela galera do Bezerra de Rio Claro, pois achei linda esta porta- bandeira sacudindo livremente e sem malícias o gingado de sua loucura medicinal!

Muito legal o vídeo, Sampleando já tinha visto-o a um tempo atrás! Começaste com palavras fortes como " o poema é um tiro em sua boca" e você reparou que os gritos do tiro que vazam pela boca estão lá, empregnados nos muros como uma Arte que grita enquanto vidas desfilam silenciosas em seus carros, e as folhas da calçada brincam com os insetos que as rodeiam na ciranda do vento entre o movimento apressado de São Paulo.

Grande abraço


obs.: federico baudelaire mestre sala da escola de samba mocidade independente de prade olivácio - a escola de samba oculta no inconsciente coletivo desde que pisou pela primeira vez em ouro preto lá pelos idos dos 90 no lance de dados deu mallarmé nada sabia de mim federika bezerra tinha viajado ao meu lado noite inteira e quando chegamos as minas amanhecendo uma sexta feira de dezembro era difícil imaginar o que nos esperava nasqueles dois dias de de carnaval republicano os estudantes de villa rica estavam em férias e suas repúblicas serviram como aposentos para as farras poéticas nos festivais de inverno da ufmg desde a primeira noite na festa federal do bar da lama federika foi empossada como a porta bandeira da escola e só veio a ser destituída em 2005 dando lugar a clarice/beatriz a musa esfinge de dante e data desta época também a eleição de gigi a rainha da bateria como o carnaval está no inconsciente coletivo todos os integrantes da escola podem ser considerados unipresentes estando aqui e ali ao sabor do vento por onde a imaginação alcançar com a velocidade da luz do som dos raios federico penetra nos acontecimentos até as entranhas visto não ter fronteiras que o separe da realidade e do sonho que padre olivácio sempre nos ensinou assim como uilcon pereira e seu coração de boatos

2 comentários:

  1. Valeu Artur! Mas lhe confesso que aqui revendo tantas e tantas perguntas e respostas entre algumas bobagens que te postei no orkut, chego a conclusão que Mama Mia está me transformando em uma matraca sem freios!rsrsss
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Fique tranquila Mama Mia, vai passear com Federico um dia dessdes. grande beijo

    ResponderExcluir