domingo, 23 de janeiro de 2011

era 2013 e no lance de dados deu 13










me apaixonei por silvinha
a sombra das jabuticabeiras
não eram árvores de vinhas
numa noite em jardinópolis
latia o coração da metrópolis
na cidade dos cemitérios
pergunto qual os mistérios
e o sexo que o anjo tinha
pra me cumer daquela forma
uva na boca silvinha



inconscientemente a mocidade independete de padre oliv´cio estava reunida na biblioteca do planalto central de brazilírica para cumprir a reunião da pauta sobre o reajuste dos deputados e reivindicações do mínimo no centro da sala diante da mesa a diretoria no pátio a turba enfurecida guitava viva zé maria queremos 2225 enm um real a menos de dentro do planalto central saltou eugênio mallarmé arte é um movimento su-real realidade não tem graça era 2013 e no lance de dados deu 13 a república estava ali representada congressistas passistas ritmistas motoristas maquinistas ala das baianas mestre sala porta bandeira comissão de frente facistas comunistas esquerdistas leninistas trotskistas anarquistas taxistas nacionalistas trabalhistas republicanos movidos por uma luta de classes
pastor de andrade em nome dos açougueiros pontuou até aqui matamos o boi dessossamos vendemos a carne e ficamos com os ossos de agora em diante ficamos com a carne e vendemos os ossos gigi da bateria já decidi com as colegas não desfilamos mais por menos de um milhão chega de desfile para 20 mil 50 mil setenta mil da ala das baianas veio o grito nós também queremos salário nada mais de rodar a baiana de graça lady gumes em greve de letras estava em silêncio no canto da sala federika bezerra berrou ou paga a porta bandeira o mesmo que ganha a rainha da bateria ou não dou mais bandeira no desfile eu acostumado a dar amor de graça desde que vim para o presídio federal quero o reconhecimento para o meu estado de surto estou com a turba lá do pátio o que for dado pra eles também quero

nisso uma voz desafinada ecoou de dentro do presídio federal era macabea salto alto vestido de rendas frente única mostrando as costas semi/nua agora sim me reconheço e estou pronta para presidir a escola para qual fui eleita é golpe gritou papa olivácio pelo que eu saiba ainda sou o presidente não houve eleições estudantis nenhuma nem por aqui nem acolá revejam as atas anteriores não me venha com indiretas calma mi padre ponderou federika eu avisei a mi padre que macabea estava insuflando os alunos para o golpe no pátio a turba voltava a carga viva zé maria queremos 2225 na televisão ciro garcia organizava o movimento orientava o carnaval

uilcon pereira sempre me dizia cuidado ao falar pros passarinhos cheguei em ribeirão preto as 7 depois de uma noite de estrada peguei o bus para jardinópolis ainda sonolento 50 minutos se passaram até que da janela avistei dois objetos estranhos na porta do cemitério na entrada da cidade dois monumentos concretos um disco voador e uma bíblia adornada por velas ainda acesas na manhã que se inicia gabriel de la puente me aguardava na rodoviária e de lá me levou direto ao convento das freiras beneditinas onde aconteceria o seminário era 85 e no lance de dados deu 5 logo no primeiro dia terminada a primeira performance surge ricardo pereira lima sobrinho do ex-prefeito responsável pela obra monumental a porta do cemitério

éramos 33 na ocasião vindos de vários cantos para o recanto das letras enquanto o grosso da mocidade ainda estava discutindo a reforma salarial em brazilírica pereira perguntei ao ricardo se ele nos levaria ao ex-prefeito que atendia pelo alcunha de newton reis batemos em sua porta em busca de explicações ele nos convidou para o bar do chico onde a maconha ficava escondida na parede atrás do crucifixo a meia noite de sexta e lá quando chegamos ele já estava sentado com um prato de linguiça o seu cachorro ao pé da mesa lendo augusto dos anjos falou-nos que adepto de todas as religiões nunca encontrou a resposta para o fato do corpo ser enterrado no cemitério e a alma viajar para outras blogosferas sem ter nenhuma condução que as carregue para o céu ou para os quintos dos infernos pensou então no disco voador e nunca mais se elegeu em jardinópolis nem para síndico da sua chácara muito menos para vereador

enquanto isso em brazilírica assembléia em pé de guerra rodrigo mebs vamos falar par o ademir ou nos paga o mesmo salário de um vereador ou sequestramos os cones do vino cap e vamos pra porta da prefeitura beber todo vinho do chafariz então a polleto pondera não quero salário de vereador quero posar de primeira dama federika protesta nem de longe prefeito não se chama gabriel se tem uma primeira dama aqui sou eu que já fui ex-amante legítima representante da classe das bem amadas lady gumes pondera pro papel de primeira dama vamos ter que fazer eleições o prefeito está viúvo temos que preencher o cargo no que leila se manifesta ainda nua na porta da catedral é melhor que ele mesmo escolha para depois não se arrepender do prazer que podemos dar





Olá Artur! Lhe agradeço e fico muito grata de você ter postado meu texto em seu blog! Começas-te o ano bem corajoso de postar minhas loucuras hein?rsrrs Mama mia ou late rsrsrsrs

Andei caminhando mais um pouco com meus olhos curiosos sobre a mocidade reunida na assembléia do sanatório geral do planalto central da brazilírica que possui a sorte de ser lírica na sua imaginação pois aqui nesta nossa realidade sangrenta estamos na "brazipiada" ou talvez sejam as gravatas que estão sufocando nossos parlamentares que até mesmo na hora de tomar atitudes como as de prevenção a tantos de nossos acidentes ambientais não sabem usar os recursos,mas na hora de aumentar de forma exorbitante seus salários estão num pique de 1.000 Km por hora.

Chega a ser irônico que nosso povo está meio anestésico com esta atitude deles? Você reparou? Será que foi o clima de final de ano, as reuniões momentâneas em família, o 13º salário, presentes e outras "cositas" mais que fez muitos paspalhos homens cobiçarem a mulher do vice e as mulheres ficarem mais interessadas em aprender a fazer a trançinha da posse?

Logo eles estarão culpando seus ternos e gravatas por estarem sufocando a vergonha na cara ou escondendo-a entre o calor de outras partes íntimas? E sei, que bermudas e chinelos não iriam refrescar a situação, que está hoje, pelos adolescentes que encontro por aí do jeito que dizem que a ditadura sonhava, como bonecos de vozes e olhares lacrados , sem perguntas e muito menos respostas.

Enquanto alguns de nós pelo que li no seu texto, vivemos a flor da pele gratuitamente, temos sonhos, perguntas, atitudes, ações, amor, prazer, enfim, uma vida intensa, tudo de graça e mesmo assim, muitas vezes, sem valor nenhum para a sociedade!

Ah! Achei engraçado o nome da Federika Bezerra! Aqui na cidade vizinha de Rio Claro há um sanatório chamado Bezerra de Menezes! Será que seu berro saiu lá de dentro?
Tenha uma linda semana!!!

Grande abraço
Alicnéia Marccuci - Corumbataí-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário