sábado, 15 de janeiro de 2011

Ouro Preto, em Minas Gerais



Em 1990, numa viagem que fiz levando alunos da então Escola Técnica Federal de Campos a cidade histórica mineira de Ouro Preto começou mesmo que fragmentalmente a surgir a idéia dos Retalhos Imortais do SerAfim - Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim, que transformado em encenação teatral começou a ser mostarado em junho de 95 na ETFC e em julho de 95 como encenação exposição gráfica chegaria a Ouro Preto, e lá nasceria definitivamente a Mocidade Independente de Padre Olivácio - a Escola de Samba Oculta no Inconsciente Coletivo, que em 1992 com um pequeno embrião já criado desfilou em brazilírica pereira doscampos de goytacazes com este samba/enredo:

federika bezerra a porta bandeira que bortou olivácio doido


Em
mil novecentos e vinte e cinco
na noite de orgias satanazes
um raio de trovão incandescente
rachou a Igreja em Goytacazes
um vulto do despacho então desceu
movido por farol de grande luz
tocou na pedra quebrou cruz
a Rainha do Fogo dessa gente

Federika
de ouro azul e prata
na paorta da igreka foi parida
criada pelo Padre Olivácio
que logo depois lançou na vida
aos cindo de idade encantada
foi pega mastrubando em sacristia
por causa de um sonho com o príncipe
DuBoi da mais sagrada putaria

Expulsa
da cidade foi pra longe
cresceu entre os jardins de JardiNÒpolis
mas se você pergunta Froid Explica:
- o seu palácio agora é em Petrópolis

Aos
dezenove plena de alegria
conheceu Gigi da Bateria
na porta do Beco de Satã
na festa federal do Bar da Lama
a Deusa dos Lençóis de toda cama
sorrindo para ver como é que fica
dá um corte na história
inverte o drama
e transforma Ouro Preto em Vila Rica

e assim vamos cantar em verso e prosa
a saga dessa Deusa Iansã
que em busca da mordida na maçã
sonhava encontrar Guimarães Rosa

Viemos
do SerTão para os seus braços
porque a Mocidade Independente
é a mais fina e pura Flor do Lácio
afilhada do secular Padre Miguel
e fiel ao seu pai Padre Olivácio
e para completar a grande roda
trazemos o cacique Pau BraZil
o centenário Oswald de Andrade
filho da pailicéia que pariu!

Passando pelas bandas do Catete
dançando na maior intensidade
macumba com o índio brasileiro
nossa Ex-Cola campeã da liberdade
Federika engravidou o grafiteiro
do famoso cacete Samaral
que escrevia pelos muros da cidade:
Mocidade já ganhou o CArnaval!

e assim vamos cantar na grande roda
tudo o que deu e o que não deu
o dia que um pastor bem collorido
pensou ser pai de santo e se fudeu!

federicobaudelaire - viagens insanas
Uma das mais encantadoras cidades históricas de Minas Gerais, Ouro Preto é dona do maior acervo do barroco brasileiro. Sua arquitetura colonial magnífica é tombada como patrimônio histórico mundial pela UNESCO e é responsável por atrair turistas dos quatro cantos do planeta. Somado a isso, a saborosa gastronomia e a conhecida hospitalidade mineira fazem de Ouro Preto um dos destinos mais procurados do país.

Descoberta em meados do século XVII por portugueses à procura do ouro, a antiga Vila Rica já foi a cidade mais habitada do Brasil. Foi nesta época que recebeu alto investimento para sua construção, onde não foi poupado esforços para fazer o que havia de mais bonito. Igrejas minuciosamente talhadas e banhadas em ouro, monumentos imponentes, casarões gigantes e amplas alamedas.

Com a escassez do ouro e a conseqüente mudança da capital para Belo Horizonte, Ouro Preto ficou estagnada e sem grandes avanços na economia. Se a recessão foi uma decepção aos olhos do século XIX, no seguinte foi vista como a salvação. Afinal, foi este o motivo que Ouro Preto pôde manter seu acervo histórico inigualável.

Uma visita a cidade deve começar pela Praça Tiradentes, outrora palco das confabulações dos inconfidentes, hoje, sede de grandes eventos e shows variados. Ao seu redor, o genuíno casario barroco setecentista completa o cenário com o Museu da Inconfidência, o principal marco de Ouro Preto.
Ali estão expostas cartas, roupas e objetos variados dos famosos personagens do século XVIII, como Marília de Dirceu, Tomás Gonzaga e Tiradentes. Seu acervo ainda conta com mobiliário da época e peças extraordinárias dos mestres Aleijadinho e Athaíde.
Estes gênios escultores foram os responsáveis por transformar as igrejas de Ouro Preto em grandiosas obras de arte. São, em sua maioria, talhadas em madeira, banhadas a ouro e ricas em afrescos. Imperdível visitar as igrejas de São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Rosário, Pilar e Carmo.

No campo arquitetônico ainda vale visitar o Largo do Rosário, que é a exata tradução da engenhosidade do barroco mineiro, onde formas se sobrepõem, possibilitando a simbiose perfeita entre o relevo íngreme e a diversidade dos sobrados. Não tão distante dali, está a casa onde viveu Tomás Gonzaga e o Museu Casa dos Contos, um belo exemplar do casario que possui até senzala.

Depois de percorrer a cidade, a deliciosa gastronomia mineira convida para um banquete no aconchegante restaurante Chafariz. No cardápio, pratos tradicionais como frango ao molho pardo, feijão tropeiro e ora-pro-nobis. Deleite-se na hora da sobremesa: pudim de leite, quindim, ambrosia, goiabada com queijo. Outro estabelecimento com renomada culinária é a Casa dos Contos e também a Casa do Ouvidor.

Para a hospedagem, a dica é ficar bem no centro antigo, como no prestigiado Solar do Rosário ou na Pousada do Mondego. Ambos bem localizados em meio às vielas da antiga Vila Rica e bem próximo aos principais pontos turísticos.

Ouro Preto é um lugar interessante de ser visto durante todo o ano. No verão a cidade permanece com o clima agradável de montanha. Em Julho é bastante frio e acontece o Festival de Inverno, cheio de atrações culturais. Para os mais animados, o carnaval de rua e a festa de 12 de Outubro enchem as ruas de foliões até o raiar do dia. As festas religiosas dão um colorido a mais na cidade, com tapetes de flores por toda a extensão da tradicional via de procissão. As mais procuradas são a Semana Santa e o Corpus Christi.

* Fê Costta é graduada em Turismo e já visitou mais de 40 países. Há três anos escreve suas aventuras no blog viaggio-mondo.com

Um comentário: