sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

curtíssimo roteiro para um curta breve

césar castro - wermer além da alama




a carne que me cobre é fraca
a língua que me fala é faca
o olho que me olha vaca
alfa me querendo beta
juro que não sou poeta
a ninfa que me ímã
quando arquiteta
o salto da abelha
quando mel em flor
e pulsa pulsa pulsa
a matéria negra cor
quando a pele que veste é nada
éter pluma seda pêlo
quando custa estar em arcozelo
desatar a lã
dos fios do novelo
no sol de amsterdã
desvendar hollanda
e os mistérios da palavra
por entre os cotovelos

artur gomes
http://juras-secretas.blogspot.com/


alice dá um chute no elefante com seu pesinho elegante macabea não sabendo o que fazer depois de rejeitada na programação do quarta capa se enfia na sala de artes cínicas d0 presídio federal de brazilírica mas não consegue entender clarice nem paixão segundo GH em mar de fogo me registro mariana olha-me através do espelho do quarto do motel com olhos de vaca no cio na calçada caio fernando me diz que os dragões não visitam o paraíso e o sangue escorre do seu pulso até o chão de uma cidade de palha

não conseguia entender como silvinha fora parar sem ao josé do rio preto se lá não havia escola de dança e letras do ibilce não estavam em cogitação quando em dracena foi fazer a provados nove bia continuava em ribeirão com o namorado que rasgava poemas de amor alheio não tinha como deixar a república ou se instalar na casa dos avós em jardiNÓpolis onde cresceram as noites de amor e jabuticabas ouvindo estórias de newton no bar do chico na praça

haviávamos acabado de rasgar mais uma vez os retalhos nos porões da casa guignard em outro preto era 95 e no lance de dados deu 5 e as crianças são testemunhas marllarmè passou por aqui nirvana veio até a mim e me disse que queria dançar o cântico dos cânticos ao som da minha voz federika pela primeira vez subiu nas paredes como uma lagartixa quando em busca de mosquito

gravei uma fita cassete e mandei para campinas onde na unicampi orientada por marília de andrade nirvana fazia mestrado em dança contemporânea para desvendar os fragmentos corporais de pina bausch ( Philippine Bausch, mais conhecida como Pina Bausch (Solingen, 27 de julho de 1940 — Wuppertal, 30 de Junho de 2009), foi uma coreógrafa, dançarina, pedagoga de dança e diretora de balé alemã.

Conhecida principalmente por contar histórias enquanto dança, suas coreografias eram baseadas nas experiências de vida dos bailarinos e feitas conjuntamente. Várias delas são relacionadas a cidades de todo o mundo, já que a coreógrafa retirava de suas turnês idéias para seu trabalho.
Entre os seus temas recorrentes estavam as interações entre masculino e feminino - uma inspiração para Pedro Almodóvar, em cujo filme, Fale com ela, Pina aparece em uma bela sequência de dança.

Foi diretora da Tanztheater Wuppertal Pina Bausch, localizada em Wuppertal. A companhia tem um grande repertório de peças originais e viaja regularmente por vários países. )

era uma noite de julho e em setembro invadimos são paulo com a voz do poeta e o corpo da bailarina “saibam quantos estes meus versos virem que te amo do amor maior que possível for toma conta do sol toma conta da terra toma conta do mar toma conta de mim maria antonieta d´alkmim” depois do amor me registro com os retalhos imortais do serAfim – porque oswald de andrade nada sabia de mim

sérgio sampaio a meu ver é um caso a parte na música popular brasileira capixaba de cachoeiro do itapemirim chegou ao rio de janeiro em plena ditadura militar sua genialidade não permitiu que trilhasse os mesmos caminhos do seu conterrâneo preferiu outras trilhas num tempo em que era sair do país ou enlouquecer preferiu a última opção e fez dela inspiração para criar as mais belas pérolas da mpb e hoje ouvi-lo é um alento uma desintoxicação para os nossos tímpanos viajei de trem na trilha sonora do vídeo acima é uma das suas pérolas aos poucos

federico baudelaire – viagens insanas
http://federicobaudelaire.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário