sexta-feira, 26 de agosto de 2011

mar à vista



 essa morte cercada
intra muros
é o que não quero
quero o mar revolto
o furacão
a tempestade
o caldeirão fervendo
em teus olhos de espanto
o óleo não bento
te molhando a boca
e esta flor de cactos
te lambendo as coxas

arturgomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário