terça-feira, 2 de outubro de 2012

jura secreta 140



como se fosse um beijo
esta palavra que escrevo agora
na flor da tua pele clara
pétala  criatura rara
onde toco no teu ser intenso
como um canto
no teu canto penso
tudo que em tua  boca fala
por quanto tempo que o poema teço
fosse uma lua
em tua carne tensa
ou esse sol em tua luz intensa
com o secreto na palavra musa
neste segredo
entre a pele e blusa
no tecido do teu corpo em prece
fosse a palavra que selvagem falo
apenas pluma que a leveza tece
em teu silêncio na sagrada ora
como uma língua onde a fala  tanta
despetale em  arte
onde quer que eu cante
como semente que em teu c0lo plante

artur gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário