quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Poesia nas Escolas

poetas reunidos no momento da plantação da Pitangueira, ato que acontece todos os anos para o encerramento de cada edição do Congresso Brasileiro de Poesia

“A poesia é a única prova concreta
da existência do homem”
Luiz Cardoza y Aragon

“A poesia é sempre um ato de paz. O poeta
nasce da paz como o pão nasce da farinha”
Pablo Neruda

Quando em 1990 decidimos fazer um congresso de poesia na serra gaúcha, mais que reunir poetas de todo o Brasil  convidados do exterior, tínhamos um projeto ambicioso em mente: levar a poesia de volta para dentro das salas de aula das nossas escolas. Sonhávamos mais: devolver à poesia a dignidade que os tempos modernos lhe haviam roubado nas últimas décadas, tornando-a a irmã pobre da literatura, reduzindo-a ao mais inexpressivo dos lugares nas livrarias, ou seja, a menor estante, na pior localização.

Não foram poucos aqueles que tentaram nos desestimular, dizendo que a poesia não tinha mais espaço dentro dos tempos modernos que experimentávamos no início da última década do século vinte.

Mas tivemos também aqueles que apostaram na idéia e não mediram esforços para que ela se tornasse realidade, nem que fosse para durar um pouco tempo e sucumbir como a maioria dos projetos culturais daquela época, uma ou duas edições depois.

E aquele movimento que começou já forte no dia 20 de abril de 1990, em Nova Prata, foi se consolidando com o passar dos anos, mudou para Bento Gonçalves, ganhou renome internacional, acaba de realizar a sua 20ª Edição consagrado como um dos maiores encontro de poetas de todo o país e um dos mais importantes da América Latina e já prepara a sua 21ª Edição para 2013.

E nestes anos todos, por mais que falem e elogiem as vitrines do centro da cidade repletas de poemas durante o evento, nossos esforços continuam concentrados em levar cada vez mais poesia para dentro das escolas. “Autor Presente na Sala de Aula” e com ele temos obtido avanços de fazer i veja àqueles que não acreditam na força da poesia: nunca tantos poetas foram lidos em nossas escolas como nos dias atuais. Estão aí professores, responsáveis por bibliotecas de escolas e mesmo os poetas para confirmarem este avanço.

E além, essa prática lançada pelo Congresso Brasileiro de Poesia, ao longo dos anos tem descoberto os novos talentos da cidade de Bento Gonçalves, caso da Mayara Pasquetti, que desde 2006, quando participou da  Oficina de Poesia Falada no Cefet,  vem atuando em belos recitais ao lado do poeta Artur Gomes responsável pela Oficina, para a criação do espetáculo poético que homenageou o centenário de Mário Quintana. E nesta última edição o Congresso ganhou mais  um talento promissor,  Tatiane Trevisan, fruto também da vivência com os poetas em sua Escola, o Instituto Estadual de Educação Cecília Meireles.

Dando continuidade ao propósito de aumentar esa oferta de poesia e apresentar novos poetas aos nossos alunos o Proyecto Cultural Sur/Brasil lançou dois novos volumes de suas tradicionais antologias poéticas, sempre com a finalidade de distribuí-los nas escolas de Bento Gonçalves e região durante a realização do Congresso Brasileiro de Poesia.

Cinquenta e oito poetas das mais variadas correntes poéticas se apresentam nas páginas de Poesia do Brasil Vol. 15 aos nossos estudantes, nas expectativa de contribuírem para o fortalecimento  da poesia em suas vidas, porque como bem disse o imortal Pablo Neruda, “a poesia não é de quem a escreve mas de quem a usa”.

Neste ano, em  sua vigésima edição, o Congresso Brasileiro de Poesia homenageou o poeta  Sérgio Napp, uma das mais expressivas vozes da poesia do Rio Grande do Sul.

Quando o exemplar do volume 15 da antologia oficial do 20º Congresso Brasileiro de Poesia chegar às usas mãos , tenha a certeza de que ela já estará também em todas as bibliotecas das escolas de Bento Gonçalves, ajudando a fazer daquele nosso projeto de 1990 uma realidade cada vez mais gostosa de se viver.

Bento Gonçalves não respira poesia somente durante a semana em que é realizado o evento. Durante todo o ano letivo as escolas trabalham todas as formas do fazer poético com seus alunos e a maioria delas já realiza semanas de cultura onde recitais de poesia deixaram de ser coisa rara e ocuparam lugar de destaque nas programações.

Mesmo sabendo do muito que foi feito, temos consciência de que ainda há muito chão por andar.

Saudamos os poetas participantes deste projeto citando Oswald de Andrade: “Aprendi com meu filho de dez anos que a poesia é a descoberta das coisas  que eu nunca vi.”

Bento Gonçalves, setembro de 2012

Ademir Antonio Bacca
Presidente do Proeycto Cultural Sur
Coordenador 20º Congresso Brasileiro de Poesia


Nenhum comentário:

Postar um comentário