segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Poeta Décio Pignatari morre aos 85 em SP

Ao lado dos irmãos Haroldo e Augusto de Campos, Pignatari fundou o Noigandres



Poeta estava internado desde sexta-feira (Valéria Mendonça/Divulgação)
Poeta estava internado desde sexta-feira
Morreu neste domingo, aos 85 anos, o poeta Décio Pignatari, considerado um dos principais nomes do concretismo. Portador do Mal de Alzheimer, ele estava internado no Hospital Universitário da USP, em São Paulo, desde o último 30 de novembro. Nesta manhã, o poeta teve um quadro de insuficiência respiratória em virtude da pneumonia aspirativa (infecção pulmonar) e não resistiu.

Vida e obra

Filho de imigrantes italianos, Pignatari nasceu em Jundiaí(SP) em 1927 e logo se mudou para Osasco(SP), onde morou até os 25 anos. Além de poeta, também foi ensaísta, tradutor, contista, romancista, dramaturgo, publicitário e professor.

Seus primeiros poemas foram publicados na Revista Brasileira de Poesia, em 1949. No ano seguinte, lançou o livro Carrossel, e, em 1952, fundou o grupo Noigandres, com os irmãos Haroldo e Augusto de Campos.

Em 1953, Décio se formou em direito pela Universidade de São Paulo (USP) e em seguida viajou para a Europa, onde passou dois anos, mantendo contatos com diversos intelectuais. Já de volta ao Brasil, em 1956, lançou oficialmente com o grupo Noigandres o movimento de poesia concreta, durante a Exposição Nacional de Arte Concreta no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Em 1965, ainda com Haroldo e Augusto de Campos, publicou o livro Teoria da Poesia Concreta. Desde 1999 morava em Curitiba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário